terça-feira, 29 de dezembro de 2015

AS ESTRANHAS E BELAS MÁGOAS DE AVA LAVENDER


As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender - Leslye Walton






As Estranhas e Belas Mágoas De Ava Lavender

Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro.


Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante. Comentários

Já tinha ouvido falar bem desse livro lá fora e dei pulinhos de alegria quando a Novo Conceito lançou por aqui e eu recebi meu exemplar em casa. Ou seja, minhas expectativas estavam bem altas quando iniciei a leitura.
Enredo

A história começa com o nascimento dos gêmeos Ava e Lavender, filhos de Viviane Lavender, e com a revelação de que Ava nasceu dotada de um par de asas. Após essa breve introdução, Ava volta no tempo para nos apresentar a história de sua família desde sua bisavó.
Desenvolvimento do enredo e Narrativa

Ava ocupa mais ou menos metade do livro narrando a vida de seus antepassados, marcada por dor, tragédias e desilusões amorosas, até chegar no ponto de seu nascimento, de onde a história segue, e alcança o grande clímax na adolescência de Ava.
Esse não é um livro de ação, mas sim um livro sensível, de reflexão sobre a vida e o amor, e sua força está nos personagens. A narrativa é feita em primeira pessoa pela Ava e traz certa dose de lirismo e poesia.
Personagens

Ava se propõe a contar a história de sua família e não o faz de forma displicente: ela não resume brevemente os principais acontecimentos de seus antepassados, mas sim toma seu tempo e, com calma, dá um panorama abrangente de como foi a vida de sua bisavó Maman, de sua avó Emilienne e de sua mãe Viviane, contando as tragédias que aconteceram, as marcas que deixaram e como elas foram passando pela família.
Fora a família conhecemos alguns amigos e vizinhos de Ava e sua família, e a maioria é muito cativante. Gostaria de me estender nessa parte e falar bastante sobre eles, mas como a força da narrativa está nos personagens, qualquer coisa a mais que eu fale irá estragar a história. Só vou ressaltar que Henry, o irmão gêmeo de Ava, é autista (o que não está dito explicitamente no livro, mas é possível deduzir facilmente) e o responsável pelas cenas mais doces da narrativa.
Conclusão

Se você procura uma leitura sensível, desacelerada e que induza a reflexão, esse é o livro ideal. O toque de realismo fantástico que ele traz, aliado ao lirismo que a autora conferiu à sua narrativa, o torna único e especial e o destaca no gênero jovem-adulto.
Pois assim que as coisas acontecem, bem ou mal, não há nada a fazer. Simples assim.


tirado de http://www.psychobooks.com.br/2014/12/resenha-as-estranhas-e-belas-magoas-de-ava-lavender.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário